Datas Comemorativas

Hoje é: Nascimento de Linus Pauling, cientista, EUA (1901).

Amanhã é: Dia Mundial das Doenças Raras. Foi escolhido este dia exatamente por ser também ele raro. Nos anos que não são bissextos, comemora-se no dia anterior, dia 28 de fevereiro.

Artigos

Pedro Antônio Bernardi - pedro.professor@gmail.com

Jornalista, economista e professor.

Família e escola não formam a personalidade integral

No planeta terra globalizado e materializado, quase tudo é planejado e feito em função da competição econômica e profissional, poder e fama, consumo e prazer. Danem-se a moral, a ética, a integridade, o patriotismo e a espiritualidade.

Família, escola e meios eletrônicos de comunicação são as principais instituições formadoras da personalidade da criança e do jovem. Infelizmente, as três passam pelo estirão da ineficiência, ineficácia e inefetividade. Estado e Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário não conseguem se entender e trilhar o caminho da independência harmônica. O sentimento que se tem é que no século XXI governantes e sociedade brasileira escolheram, equivocadamente, a equação da desordem generalizada e rumos sem qualquer direção.

Diariamente, ouço desesperadamente adolescentes e jovens que dizem estar procurando um significado para a vida. Muitos questionam a existência de Deus e o céu. Outros se sentem presos dentro de arena cheia de leões devoradores. Diante dessas fragilidades e insegurança vivencial da mocidade, pais, educadores e comunicadores estão reprovados. Respeitam-se e aplaudem-se as exceções. Certo é que nenhuma nação do mundo será desenvolvida e vitoriosa, se não investir na formação da personalidade humana, cívica e espiritual de seus cidadãos.

Em relação ao conteúdo dos programas televisivos, confesso que há muito tempo não assisto nas grandes redes do país reportagens, notícias e documentários que promovam reflexão e melhorem a qualidade de vida. Publicações diuturnas sobre podridão, conflitos, crises e mazelas não formam; ao contrário, deformam. Parece que o Criador apagou as luzes da inteligência, destruiu a propriedade do bom senso e arrancou as raízes do equilíbrio.

Em linguagem figurativa e real, no Brasil tombam muitas árvores impiedosamente cortadas pelos devastadores poderes público e empresarial, em prejuízo da saúde, educação, segurança, meio ambiente e outras necessidades vitais. Entretanto, há também pessoas luminares e instituições robustas, ignoradas pela imprensa, que saciam a fome, socorrem o enfermo, abrem atalhos para construtores da ordem, da paz, da justiça e do desenvolvimento.

A sociedade materializa a alma, a razão e os sentimentos de respeito. A massificação dificulta o diálogo nos ambientes de aprendizagem e no lar, inibe a colaboração e o trabalho em equipe, congela a solidariedade e a participação comunitária. Crianças e jovens precisam de comunicação autêntica para enxergar simultaneamente a ciência e a transcendência.

Só assim vão poder partilhar efetivamente de tudo o que os cercam. Atualmente, esses esforços, atenções e cuidados são sonegados, em prejuízo da formação da personalidade. Sabe-se, no entanto, que há mães, pais, mestres, religiosos e idealistas que lutam bravamente para expandir as fronteiras do diálogo transformador na família, na escola, na Igreja, nos meios de comunicação e na sociedade.

Pessoalmente, confesso uma de minhas tantas fragilidades e limitações. Até recentemente, pensava que para ser cristão católico era suficiente participar de missa dominical, reconciliar e comungar, rezar terço diariamente, pagar o dízimo, fazer caridade, amar a família, não causar sofrimento ao próximo, cumprir os mandamentos. Hoje, tenho plena consciência de que isso é insuficiente para ser digno das promessas de Cristo. Construir, cultivar e amadurecer a personalidade espiritual, a fé e a crença divina requerem a vivência e a experiência de muitas outras dimensões.

Veja outros artigos deste autorVeja artigos de outros autores

obs: respeitar letras maiúsculas e minúsculas

obs: respeitar letras maiúsculas e minúsculas