Datas Comemorativas

Hoje é: Dia Mundial da Televisão.

Amanhã é: Dia do Músico.

Artigos

José Ricardo Noronha - vendas@paixaoporvendas.com.br

Vendedor, palestrante, professor, escritor e consultor.

“Personal Branding”: Invista em sua marca pessoal!

Você já parou para pensar que tem uma marca pessoal? Todos nós temos! E quais são os atributos que o tornam realmente único no mercado diante de tantos concorrentes? Pois é, em tempos de uso cada vez mais intenso das mídias sociais, é fundamental que você trabalhe bem sua marca pessoal “online” e “off-line”.

Se você ainda não ouviu falar em “Personal Branding”, neste artigo você terá algumas dicas para construir uma estratégia de marketing pessoal para viabilizar a venda, com sucesso, do seu melhor produto: você mesmo!

O processo passa pelo pleno entendimento das suas grandes competências, talentos e dons (pontos fortes), além das características que o diferencia da multidão. Tudo isso será responsável pela criação da sua marca pessoal, diferenciada, poderosa e única no mercado.

Um primeiro passo que indico a você é identificar os seus pontos fortes e trabalhar com inteligência para maximizá-los. Aliás, no processo de construção da sua marca, é um grande desperdício de tempo focar em seus pontos fracos. Isso porque eles nunca se transformarão nos diferenciais competitivos que tornarão você único no mercado.

O mestre Peter Drucker nos ensinou que “a verdadeira excelência é alcançada somente quando é possível colocar os pontos fortes em ação”. E o aclamado guru Jim Collins nos explica que o processo de identificação das nossas principais competências e talentos (pontos fortes) passa pelo pleno entendimento das áreas em que, por mais que nos esforcemos, nunca teremos a chance de sermos os melhores.

Resumidamente: quando identificamos nossos pontos fortes, que permitem nos tornarmos os melhores naquilo que fazemos, o tempo e a energia gastos na identificação e na melhoria das fraquezas são absoluto desperdício.

Como construir sua marca

Se você ainda não conhece e/ou não identificou corretamente seus pontos fortes, peça o feedback mais cândido possível aos seus colegas, líderes e familiares. Pergunte a eles sobre as competências únicas que enxergam em você.

Após identificar esses talentos, conecte-os à sua “marca pessoal”. Se você é, por exemplo, um exímio entendedor de técnicas de vendas consultivas em mercados complexos (B2B), as informações a seu respeito nas principais mídias sociais (Linkedin, Facebook, Twitter, etc.) e nos mais importantes serviços de busca (Google, Bing, entre outros) precisam refletir com consistência este atributo. Portanto, faça uma pesquisa aprofundada na Internet para ver se as mensagens conectadas à sua imagem estão de acordo com os seus objetivos de construção da sua “marca pessoal”, que deve ser absolutamente única e memorável.

Outros componentes essenciais à construção da sua marca pessoal são: consistência (as mensagens por você transmitidas precisam ser consistentes e aderentes às suas crenças, princípios e valores), autenticidade (seja sempre você mesmo), poder de influência (saiba influenciar de forma positiva a vida das pessoas que conhece e use o seu networking com inteligência – saiba ser sempre interessante, sem ser interesseiro) e visibilidade (torne a sua marca conhecida ao participar de forma ativa de eventos, congressos e blogs dentro da sua respectiva área de atuação).

Aliás, o processo de criação e fomento da sua marca pessoal tem um objetivo ainda maior: cuidar do seu principal ativo, que se chama credibilidade. Portanto, não perca mais tempo. Comece hoje mesmo a investir na principal e mais importante marca do mundo: você mesmo!

Veja outros artigos deste autorVeja artigos de outros autores

obs: respeitar letras maiúsculas e minúsculas

obs: respeitar letras maiúsculas e minúsculas

Coluna 10

Artigo do Dia