Datas Comemorativas

Hoje é: Dia Mundial da Ciência.

Amanhã é: Dia do Doador de Sangue.

Artigos

Adriana Fóz - adriana@adrianafoz.com.br

Educadora (USP), pós-graduada em Psicologia da Educação (USP), especialista em Psicopedagogia (Instituto Sede Sapientiae) e Neuropsicologia (CDN-Unifesp). Pesquisadora CNPq em Neurociências na Educação. Consultora e autora de livros.

Ler faz bem para o cérebro

Um país é feito de homens e livros, já dizia Monteiro Lobato. Um país saudável é feito de homens que lêem. Ler desenvolve a inteligência, socializa, informa e previne doenças, tais como: ignorância, falta de estímulo, alienação, dentre outras. Não tem contra indicação, não tem idade tampouco gênero.

Falam de fome de livros. Falo de fome de leitor. Quem disse que fome não é bom? Citarei algumas receitas: A leitura cura. Cura a falta de informação, a mente sem conteúdo, a dificuldade de se expressar, a inflexibilidade de pensamento, etc. Ler é chave para estimular a memória e a atenção. Para um dos mais ativos cientistas do país, Ivan Izquierdo, exercitar a memória é uma das chaves para envelhecer com qualidade. A leitura exercita a memória. Segundo recentes estudos da neurociência, indivíduos com a doença Alzheimer, que eram leitores, têm diminuído a velocidade da doença.

Ler é aprender. Aprendemos, segundo a neurocientista Suzana Herculano-Houzel, desde sempre, mais precisamente "desde que somos do tamanho da cabeça de um alfinete". Desde bebê podemos desenvolver as habilidades para a leitura. Como podemos ensinar o gosto pela leitura, para uma criança bem pequena? Lendo para seus filhos antes do soninho, contando estórias, levando-os à livraria, promovendo outras formas de cultura, incentivando o diálogo e as brincadeiras com palavras, dentre outros.

Afeto e palavras, assim como sorvete e calda de chocolate! "Aprender é a função mais nobre do cérebro", segundo os grandes neurocientistas da atualidade, dentre eles, Stanislas Dehaene. Aprender a ler é acariciar o cérebro.Ler fortalece sinapses. Quem lê mais aprende mais ou quem aprende mais lê mais? Eis a questão. Mas a principal questão é que a leitura é uma eficaz estratégia para desenvolver recursos cognitivos, para abrir janelas e portas de oportunidades neurocognitivas. A leitura é uma saudável ginástica sináptica.

"Ler de verdade vai muito além de decodificar letras, que compõem palavras, que compõem frases, que compõem o texto" diz Pascoale Cipro Neto. É uma viagem, que vai além da realidade.

A leitura vai além... dá asas ao cérebro!

Veja outros artigos deste autorVeja artigos de outros autores

obs: respeitar letras maiúsculas e minúsculas

obs: respeitar letras maiúsculas e minúsculas