Datas Comemorativas

Hoje é: Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil.

Amanhã é: Dia Mundial da Ciência.

Artigos

Zélia Maria Bonamigo - zeliabonamigo@uol.com.br

Jornalista, antropóloga, membro do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná.

Cultura chinesa, arte e amizade em Curitiba

Na obra de Rubens Oliveira Fontoura (2012), Cultura e a Longa Marcha de Chineses e Chinesas até Curitiba, são relatadas histórias de medo, aventura, oportunidade de estudar outras culturas, viver num meio ambiente diferente e poder criar novo dinamismo. Vindos de Hebei, Xangai, Taiwan, Moçambique, trazem na bagagem elementos culturais do confucionismo, budismo e taoísmo e os enriquecem com novas experiências.

Distantes da terra natal e das maneiras de se alimentar e educar tradicionais, muitas vezes a saudade aperta e brotam sentimentos de que faltam shows e apresentações de músicas chinesas que renovem as alianças com a terra natal. Talvez por isso a apresentação do grupo Grupo China cultural levando Ano Novo aos 4 Mares (21/2) no Teatro Opera de Arame tenha arrancado aplausos tão eufóricos da plateia, composta na maioria por chineses e descendentes.

“Nos anos passados, o grupo artístico se apresentava em são Paulo, mas havia um pedido da comunidade chinesa de Curitiba para que viesse à capital paranaense, e agora está aqui”, explica o presidente da Associação Cultural Chinesa do Paraná, Francisco Guo, após desejar aos presentes “um Feliz Ano do Macaco”.

A vinda do grupo tem respaldo do Escritório de Assuntos de Chineses do Além-mar, do Conselho do Estado e do líder da Delegação artística, Sr. Yu Xiao; do Sr. Cheng Baoxiang, Cônsul-Geral em exercício, e do Sr. Zhang Yucheng, Cônsul de Assuntos de Chineses do Além-mar; do Sr. Fang Sanjing, Presidente do Centro Cultura da Ásia em S. Paulo, que trouxe o grupo a Curitiba.

Danças, acrobacias, malabarismos, mágicas, músicas e cantos marcaram a apresentação. Meninas mostram a força da concentração. Meninos testemunham o sucesso do trabalho conjunto. As vozes dos cantores e os sons dos instrumentos trazem melodias originais e, sensivelmente, as misturam às melodias brasileiras.

A tradutora do evento, Lan Hui Fen, destaca:

Quando me procuraram para ajudar no evento, fiquei surpresa, pois sei que esse tipo de missão enviada pelo governo tem o objetivo de aproximar os chineses que moram no exterior à pátria mãe, trazendo um pouco de conforto e diminuindo a saudade da terra onde nasceram. Por isso, o público alvo seria os chineses e os descendentes. Não precisariam da tradução.

Mas a missão em Curitiba foi diferente. Foi-me dito que o intercâmbio cultural é um dos objetivos principais. Eu, há duas décadas e meia em Curitiba, como tradutora e intérprete, entendo bem o quanto os brasileiros são admiradores da cultura chinesa, mas, infelizmente, conhecem muito pouco. Para tornar possível esta oportunidade rara e valiosa de experimentar um pedacinho da cultura chinesa, procurei contribuir mais um pouco.

A organização se preocupou em atingir o público tanto chinês quanto o anfitrião brasileiro, trazendo números acrobáticos ou de malabarismo, danças, mágica e de instrumento musical que dispensam comunicação verbal; e algumas canções, somente para preencher um pouco do vazio da saudade da terra-mãe.

Espero que esse tipo de evento seja mais frequente. Que a amizade entre os dois povos cresça para que haja mais compreensão, mais aceitação, mais aprendizado e compartilhamento.

Segundo o Consul Geral em exercício, Cheng Baoxiang, o grupo veio [...] demonstrar “o encanto e a riqueza de várias formas de expressão da cultura chinesa, proporcionando oportunidades ao povo brasileiro de conhecer mais a cultura chinesa, ampliando o entendimento entre os dois povos, firmando ainda mais a amizade”.

Para a cantora Kiku Tseng e o presbítero Leonardo Chen,

[...] O show, o primeiro em Curitiba, foi fantástico, o que para os conterrâneos chineses em Curitiba é muito raro, pois sempre se realiza nas grandes cidades, como São Paulo e Rio de Janeiro. É uma grande felicidade presenciarmos um espetáculo assim logo do ano novo chinês.
Gostaria que existissem mais intercâmbios culturais como este para que os amigos brasileiros conheçam mais nossa cultura.

Na avaliação de Nino Guo Ling:

Foi um espetáculo que impressionou os mais jovens que nunca viram algo semelhante. Para os mais velhos, foi como ouvir a voz da terra natal.
Alguns comentaram que imaginavam que seria um espetáculo que agradaria somente aos mais velhos, mas com os números de acrobacia, malabarismo e mágica, [...] que possuem identidade universal, foi mais fácil ser apreciado pelas novas gerações e pelos convidados brasileiros.
Outro comentário interessante que ouvi de uma socióloga é que em todo o espetáculo não houve apelo à sexualidade [...] e mesmo assim não perdeu a força de hipnotizar as pessoas.

Continua Nino:

O contato com os jovens artistas e os descendentes trouxe novas percepções sobre como os jovens chineses estão bem mais ocidentalizados do que se imaginava, sendo, sem dúvida, uma oportunidade de estreitamento de laços com a terra natal dos pais e avós.
Em relação às pessoas com quem conversei após o espetáculo, todos demonstraram muito contentamento pelo que viram, muitos puderam ter visão da cultura chinesa de um ângulo diferente e todos solicitaram para que fossem convidados numa próxima oportunidade.

Em entrevista, o presidente da Associação Cultural Chinesa do Paraná, Francisco Guo, me disse que:

[...] Houve a participação de muita gente. Fiquei alegre com a apresentação do grupo artístico. Foi um momento especial de convivência entre os chineses que moram no Brasil e o grupo artístico. Diversos chineses/as e brasileiros/as que participaram me disseram que a apresentação foi um espetáculo bem bonito. Todos ficaram alegres e muitos me pediram para que o grupo volte novamente. Vou pedir ao consulado sim.

Também Jorge Antonio de Queiroz e Silva e eu, que presenciamos o espetáculo, amamos. Lá tivemos a oportunidade de nos encontrarmos com diversos amigos/as chineses/as. Foi, sem dúvida, um grande espetáculo, um presente da diversidade cultural chinesa para a cultura brasileira em Curitiba. Que sejam sempre bem-vindos os componentes do grupo cultural que apresentou tão belo espetáculo.

Veja outros artigos deste autorVeja artigos de outros autores

obs: respeitar letras maiúsculas e minúsculas

obs: respeitar letras maiúsculas e minúsculas